sábado, 9 de fevereiro de 2013

Nova expêriencia.

Meu namorado manda muito bem na cama, mas acontece que gosto de novas experiências, coisas quentes.
Vira e mexe, eu tenho sonhos eróticos com mulheres e sempre transando com elas, isso por muito tempo foi um pesadelo pra mim, pois eu não conseguia crer que, sonhava com mulheres ao invés de homens.
Aos poucos fui pesquisando sobre isso, conversando com amigas e inclusive com meu namorado, comecei a entender que era perfeitamente normal o fato de eu sonhar com outra mulher, só me fazia imaginar como seria fazer realmente sexo com elas.
Por um tempo eu bati o pé, e ficava falando para mim mesma, você não gosta de boceta, você gosta de pau (que de fato adoro e muito), nada me da mais prazer que foder gostoso com meu namorado, ficando “d4”, enquanto ele me come, ou pulando em cima do pau dele e me acabando, acontece que a curiosidade também é um modo de prazer, e alimentando os meus sonhos e conversas, acabei cedendo através de pensando a vontade de conhecer o corpo de outra mulher.
Mas guardei esse segredo comigo por um tempo. Via através de filmes pornográficos, sexo entre mulheres, e vi que aquilo me deixava excitada, muito molhada.
Por muitas vezes eu ria sozinha vendo aquilo, por que não conseguia crer que aquilo também me fazia sentir prazer igual ao meu namorado.
Decidi então por impulso falar tudo o que estava acontecendo comigo para ele, no fundo ele sabia e só estava esperando a oportunidade de ajuntar o útil ao agradável.
Através de SMS (mensagens de textos), comecei conversar com ele, falando tudo o que estava acontecendo comigo, que eu precisava e queria o mais rápido possível transar com outra mulher, sentir o corpo de outra mulher nas minhas mãos. Como disse anteriormente, ele sabia disso, e me fez pensar em dezenas de possibilidades, chegando a uma que fez meu corpo estremecer, se eu queria como queria porque não pagar por isso e contratar uma GP (garota de programa)?
Me fazendo pensar, que seria a solução de todos os meus problemas.
Seria alguém experiente, com sigilo total e eu poderia escolher a mulher que eu senti-se mais tesão. Para mim, esta seria realmente a melhor solução. Naquele momento, não existia idéia melhor do que esta.
Concordei em irmos atrás de uma GP, pra saber como tudo funcionava, preço, hora, como era feito. Depois de muita pesquisa, encontramos uma, que fazia o tipo que eu queria, ela era branquinha, cabelo preto, na altura da cintura, rosto bonito, o corpo dela chamava atenção também, tinha por volta dos seus 20 anos, pra mim, perfeita.
Conversei um pouco com ela e ela aceitou ir conosco para o motel. Ela entrou no carro, sentando na frente ao lado do meu namorado, eu estava sentada atrás. Fomos conversando, até o motel, é claro só falando de sexo,e eu conhecendo meu namorado do jeito que eu conhecia, sabia que ouvindo tudo aquilo, ele estava extremamente excitado, porem na minha mente, somente eu ia transar com ela, mas na dele não.
Foi quando ele soltou a frase que eu sabia que estava presa na sua garganta.
- Obrigada amor, por essa noite de sexo a 3.
Pensei comigo, sexo a 3? Porque sexo a 3? Mas, nem quis pensar muito, pois chegamos ao motel, pegamos a suíte e já fomos rapidamente, logo que entramos Mônica a GP, me puxou para a hidromassagem, fazendo assim eu tirar a roupa logo de cara e lógico ela também, entramos e ficamos lá por um bom tempo, afinal precisava me acostumar com aquela situação, enquanto isso pude perceber que meu namorado ligava na recepção e pedia alguma bebida, não sei qual, pois não ouvi o nome, logo em seguida ele tirou a roupa e ficou só de cueca, deitado na cama.
Enquanto isso, eu a Mônica, ficamos na hidromassagem, ela estava tentando me fazer ficar tranqüila e solta.
Quando menos esperei, ela foi chegando perto, subindo em cima de mim, e me deu um selinho e ficou ali me olhando. Sentada em cima das minhas pernas, dentro da hidromassagem, esperando uma reação minha, foi quando na minha mente começou a vir pensamentos perversos com ela. E comecei a me soltar, comecei a beijar ela, que boca gostosa, pensava comigo. A partir daquele momento, queria cada vez, mas ela, a desejava.
Ela estava com o cabelo preso, que havia prendido antes de entrar na hidromassagem, mas queria ver aquele cabelo solto, e decidi que íamos sair dali, para irmos para a cama. Ela saiu primeiro, fazendo assim com que o seu corpo ficasse todo amostra, com isto, meu tesão por ela aumentou ainda mais, ela era gentil e assim que saiu, pegou as duas toalhas que ali haviam, e enrolou uma em seu corpo e me deu a outra para que eu pudesse sair, quando meu namorado viu que saímos da hidromassagem, já ficou todo animado. Deitamos na cama, ele estava deitado na esquerda da cama, tirei a toalha do meu corpo e deitei no meio, enquanto ela também ficou nua, deitando no canto direito.
Começamos a nos beijar, e meu namorado estava só de olho me encoxando, e eu sentia que o pau dele estava latejando, louco para entrar no meio da minha brincadeira com Mônica. Ela era realmente deliciosa, e eu estava me deixando levar por aquele momento, ela me beijava, me fazendo ficar ainda mais excitada, o seu beijo era suave, mas intenso e molhado, do jeito que eu gostava.
Ela pegou a minha mão e levou ate os seus seios, era a primeira vez que eu sentia o corpo de outra mulher em minhas mãos, a sensação era muito boa, do jeito que eu imaginava em meus pensamentos. Os seus biquinhos não demoraram muito a ficarem duros, e logo fui chupá-los, passando a minha língua lentamente neles, e apertando-os com as mãos, ela sorria, ficava segurando as minhas mãos enquanto eu a apertava, enquanto isso continuava a beijando. Ela pegava a minha mão, e percorria por seu corpo, passava por seus seios, barriga, coxas, e também na boceta. Porém, ela não me deixava chegar, além disso.
Quando ela soltou as minhas mãos, ela me empurrou, contra o meu namorado, e subiu em cima de mim.
Meu namorado só ficava olhando, mas a verdade é que ele estava louco para participar também.
Com ela em cima de mim, eu tinha a visão que eu queria, conseguia ver o corpo dela todo, logo coloquei as duas mãos nos seios dela, e via que ela estava gostando de ver que eu estava me soltando, naquele momento, eu estava realizando o que eu mais queria, que era sentir o corpo de outra mulher.
Logo ela se inclinou, me beijou novamente e foi descendo a sua língua, percorrendo pelo meu pescoço, e descendo para os meus seios, fazendo a mesma coisa que fiz com ela, chupando os biquinhos e segurando com força, e continuou descendo, passando a língua pela minha barriga, até chegar na minha boceta, começou a beijar o meu clitóris, enquanto o meu namorado me beijava lá em cima, ela sabia muito bem o que estava fazendo, passava a língua, me deixando sempre bem molhada, dava tapinhas de leve. E meu namorado só me beijava e também apertava os meus seios, afinal, isso me deixa louca.
Mônica, então decidiu por si só, que queria me ver gemendo e começou a me masturbar, colocando seus dedos dentro da minha boceta, que já estava toda molhada, ela tinha jeito pra fazer isso, totalmente diferente do meu namorado que era desajeitado, eu gemia, e ela gostava e fazia mais e mais.
Enquanto isso meu namorado, se levantou tirou a cueca, e deixou o seu pau amostra, chegando perto da minha boca, e me deu para chupá-lo, acontece que eu não queria que ele se envolve-se com ela, ela era minha. Mas como ele estava comigo, decidi que chuparia ele, enquanto ela me masturbava lá em baixo, eu chupava ele lá em cima.
De fato aquela sensação de ter a atenção toda só para você era maravilhoso, foi quando ela parou de me masturbar e subiu para chupar o pau do meu namorado também, achei muito ruim, mas não falei nada, não queria estragar aquele momento, e ficamos as duas ali, chupando ele, enquanto ele gemia, afinal sabia que aquela era a maior vontade dele, ver duas mulheres chupando o seu pau gostoso.
Não demorou muito, e ela saiu de cima de mim, mudando de posição com ele, ela veio com a boceta na minha boca para que eu pudesse chupá-la, enquanto ele já desceu e meteu em mim, os dois ficaram de frente, e enquanto eu a chupava, e ele metia em mim, os dois ficavam se beijando, confesso que aquilo só me deixava mais excitada.
Ele metia forte e eu soltava gritos através de uma chupada e outra na boceta dela. Ela então se deitou sobre mim, fazendo então um 69 comigo, e ficando de cara com a minha boceta e o pau dele entrando em saindo. Enquanto eu continuava a chupar ela, e ele me fodia, ela ficava passando a mão no pau dele, toda vez que saia da minha boceta, como se tivesse pedindo para chupar, e ele não demorou muito atendeu a sua vontade. Tirou da minha boceta e deu para ela chupar, e ela chupou deliciosamente, com gosto e queria mais, cada vez que ela fazia isso, ele metia mais forte em mim.
Ela começou a se masturbar enquanto eu a chupava, eu coloquei meu dedo dentro da bocetinha dela, estava molhada e quente, eu queria sentir aquela safada gozando em mim. Ela gemia e eu também.
Ela se masturbava e com a outra mão apertava o meu namorado, se contorcendo toda, ela gozou na minha boca, e respirou parecendo totalmente aliviada, meu namorado no mesmo momento parou de meter em mim. Soltou o cabelo dela, puxou ela pelo cabelo, fazendo ela sair de cima de mim, colocou ela “d4” na beira da cama, e começou a meter na boceta dela, enquanto isso me inclinei sobre a cabeceira da cama, e fiquei ali olhando os dois fodendo, enquanto me masturbava, com aquela posição meu namorado conseguia bem ver as duas. E ele me chamava de safada, e ela de puta.
Acontece que ele á fodia com toda vontade que eu não queria que ele parasse, ela gemia alto, e isso me dava prazer. Logo gozei, e ela empurrou ele, fazendo com que ele parasse de meter nela, e ela veio me chupar, sentindo todo o meu gozo na sua boca, meu namorado por sua vez, puxou ela novamente pelo cabelo e a beijou. Os dois pareciam se deliciar com o meu gozo, meu namorado á soltou e me chamou, me chamando de puta, deitou na cama, e mandou eu pular em cima do pau dele, sentei gostoso no pau dele, e comecei a rebolar e pular no pau dele, eu sabia que aquela posição fazia ele gemer bastante, então aproveitava pra fazer tudo o que sabia, porque adorava ouvir ele gemer e pedir mais.
Mônica por sua vez, ficou só olhando nós dois metendo, ela se deliciava e percebia isso só pelo seu olhar, não demorou muito, meu namorado gozou.
Mônica chegou perto de mim e novamente me deu um beijo bem molhado, e também um beijo bem molhado no meu namorado, finalizando assim, uma foda bem gostosa.
Fui para o chuveiro, e meu namorado, ficou com ela, para acertar o pagamento, pude ver através do vidro, que ele pagou ela, e ela deixou o seu telefone com ele, falando que foi maravilhoso, e que sempre que a gente quisesse com toda certeza ela faria de novo.
Ela pegou as coisas dela, e foi embora, meu namorado, veio comigo para o chuveiro, e nos beijamos lá em baixo, fazendo com que o seu pau ficasse duro de novo, aproveitamos a situação, e fizemos sexo ali mesmo em baixo do chuveiro, ele me segurava com força, metendo na minha boceta com muita vontade, quase arrombando. Depois de foder, deixei com que ele gozasse no meu rosto, afinal, estávamos em baixo do chuveiro mesmo.
Saímos, nos vestimos e fomos embora, afinal, o horário já estava próximo do fim.
Confesso que transar com Mônica alimentou ainda mais as minhas vontades, e os meus sonhos de ter ela como parte do meu sexo, aquela mulher é gostosa demais e vira e mexe sonho com ela e é claro, muitas vezes sinto prazer só de imaginar minhas mãos sobre o seu corpo ou a sua boca sobre a minha boceta.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Festa na cobertura

Todos adoram uma festinha, principalmente aquelas que é feita entre amigos.
Decidi fazer uma festa na minha cobertura no Guarujá.
A grande diferença em uma festa na cobertura é que todos já estão com roupas intimas, isso faz com que todos tenham ainda mais intimidade, os corpos estão todos expostos e isso é muito excitante.
Minhas amigas todas tinham corpos maravilhosos, todas muito gostosas. Porém, a que mais chamava atenção era Mel, ela vivia na academia e o seu corpo, era bronzeado.
Ela chamava atenção de todos os caras da festa, quem já conhecia ela sabia que Mel era muito gente boa, porem quem não a conhecia ficava de pau duro só de ficar admirando ela de longe.
Eu já tinha ficado com ela e pude concluir que ela tinha um corpo e uma buceta que me deixou louco.
Por ser dono da cobertura, sempre tive a oportunidade de comer as mulheres mais gostosas, inclusive a Mel.
Eu tinha um grande amigo, inclusive um dos melhores, o Dan, que era louco para pegar a Mel de jeito. Mas a maior vontade dele era nós dois pegando e fodendo ela, fazendo um gostoso sexo a 3. eu nunca havia pensando nisto, mas comecei a gostar da idéia.
Toda festinha que nós tínhamos a bebida era totalmente liberada a noite toda, pois todos dormiam em casa, para não ter risco nenhum de alguém sofrer algum acidente.
Neste dia, foi só uma festa para os mais íntimos, portanto não tinha tantas pessoas, o maximo umas 15.
Percebi que Dan, não tirava os olhos de cima da Mel, e toda hora, ela olhava para ele também, trocando sorrisinhos.
Mel, estava bebendo demais, virava um copo atrás do outro e estava totalmente solta na pista, dançando funk ate o chão.
Decidi chegar junto dela novamente, para que pudesse levar ela pra cama de novo.
Comecei a dançar com ela na pista, e encoxava ela sem parar. Dan, vendo aquela situação decidiu participar também e foi dançar conosco. Pela parte da frente, fazendo um delicioso sanduíche com ela.
Mel e Dan não se controlaram e acabaram se beijando no meio da dança, enquanto ela estava sendo encoxada por mim, meu pau estava duro, percebendo isso, ela começou a rebolar ainda mas em mim.
Dan, já passava a mão pelo corpo dela, como se eles já tivessem bastante inimidade. Ele passava a mão pelos seios dela, ela estava com um grande decote.
Ela se inclinou para trás, fazendo com que seu pescoço ficasse na região da minha boca, comecei então a beijar o seu pescoço suavemente.
Cheguei no ouvido dela e a chamei para subir ao meu quarto, junto com o Dan.
Subimos para o meu quarto, e Dan já pegou no cabelo de Mel, que eram longos e negros, puxou ela e começou a beijar, fazendo com que ela perde-se o fôlego, eu fiquei sentado na cama, olhando os dois se pegarem. Meu pau latejava de ver aquele pornô ao vivo.
Mel começou a tirar a blusinha branca dela, fazendo ela ficar apenas de sutiã e de saia, eu também tirei a minha calça e Mel já sentou no meu colo. Rebolando em cima de mim, Dan por sua vez também tirou toda a sua roupa, ficando apenas com o pau pra fora, e enquanto ela me beijava, ele começou a bater uma nos olhando.
Não demorou muito, ele chegou por trás dela e soltou o seu sutiã, fazendo com que os seus seios ficassem amostra para mim. Ela começou a passar as mãos neles, fazendo com que eu ficasse ainda mais excitado.
Abaixei a cabeça para chupar os biquinhos dos seios dela, Dan chegou mais perto e meteu o pau dele na boca dela, eu já sabia que o boquete dela, era delicioso, ela era uma profissional nisso, tirei ela do meu colo, e deixei ela chupando o pau do Dan. Tirei minha cueca, ficando somente com o pau de fora também, cheguei mais perto do dói e peguei Mel pelo cabelo, e fiz ela ficar de joelhos no meio de nós dois.
Ela começou me chupando, e batendo uma pro Dan, e foi revisando, decidimos então retribuir o que ela estava fazendo. Dan pegou ela pelo braço, fazendo com que ela levanta-se, jogou ela contra a cama, fazendo com que ela cai-se. Ele já subiu por um lado e eu por outro, Dan beijava Mel, e acariciava seus seios, enquanto eu tirei sua calcinha e comecei a passar os dedos pela buceta dela, senti que ela já estava toda molhada, e meus dedos deslizaram fácil para dentro da buceta daquela gostosa, fazia movimentos de entra e sai, fazendo com que ela começou a gemer, quanto mais eu aumentava a intensidade, ela gemia mais alto, não demorou muito, ela gozou e eu não poderia deixar passar comecei a chupar aquela buceta toda gozada, o gozo dela era uma delicia.
Chupando ela deixei ainda mais molhada, quando ela olhou pra mim, e pediu para que eu fode-se a bucetinha dela.
Levantei s pernas dela e naquela mesma posição já meti com raiva naquela morena safada, enquanto isso ela chupava o pau do Dan e gemia.
A festa rolava solta la em baixo, a verdade é que ali todos já haviam feito sexo ou estavam fazendo. Enquanto isso, eu só queria saber de foder a Mel todinha. Depois de algum tempo, sai da buceta dela, e coloquei ela “d4”, para que Dan pudesse foder o cu dela.
Dan cuspiu no rabo dela, para que pudesse lubrificar, mas aquela vadia era tão safada que não precisou de muito preparação e Dan já meteu no cu dela, ela gritou de tesão.
Enquanto ele arrombava o cu dela, ela chupava o meu pau e batia uma pra mim. A boca molhada dela, me fazia gemer e pedir mais:

- Chupa meu pau sua vadia.

E o Dan:

- Que delicia de rabo heim morena?

Ela não conseguia falar, só gemia.
Dan dava umas estocadas fortes no cu dela e ela gritava.
Ele parou, os dois levantaram e ele deitou na cama de costas pra baixo, encaixando a buceta no pau dele, e começou a rebolar, deixei por um minuto que ele também arromba-se a buceta dela.
Cheguei por trás dela e empurrei ela, fazendo com que ela ficasse inclinada sobre o pau dele, me ajeitei e coloquei meu pau no cu dela bem lentamente, para torturar ela. Neste movimento meu pau entrou todo dentro do rabo daquela filha da puta.
Ela não conseguia ficar quieta e gemia igual ao uma louca, comecei a meter mais rápido e Dan também pra deixar ela realmente arrombada, segurava ela pelo cabelo, enquanto Dan erguia ela para que ele fizeste os movimentos para foder ela.
Ela gritava, e nos dois gemíamos sem parar.
Ela acabou gozando em cima do pau dele, que acabou escorrendo, eu comecei a foder ela ainda mais forte, queria gozar dentro do rabo dela.
Dan esperou que eu goza-se para que ele também pudesse gozar.
Gozei dentro do rabo dela, e enquanto eu estava gozando ela rebolava semparar, fazendo com que eu gozasse ainda mais gostoso.
Terminei de gozar, tirei meu pau do cu dela, sai de trás dela e fiquei em pé perto da cama, ela também levantou e ficou de pé na minha frente, chamei Dan, que levantou da cama, e ficou na frente dela.
Segurei pelos cabelos dela e fiz ela ajoelhar, ficando novamente com a boca na direção do pau dele. Não precisou de nada e ela já pegou o pau dele com a boca, eu só acompanhei segurando o cabelo dela, Mel estava fazendo um boquete no Dan, ate que ele disse que ia gozar, puxei os cabelos dela para trás fazendo com que a cabeça dela viesse para trás, ela deu uma “mãozinha” para ele, e ele acabou gozando na cara dela, acabou escorrendo do pescoço para os seios e como se não bastasse isso, ela esfregou a porra dele pelos seios depois disso, nós 3 fomos para o chuveiro, mas sai rapidamente, para ver como estava a festa, já eram 3 horas da manha e lá em baixo estava tudo ok, todo mundo dormindo então decidi subir e deitar também, quando chego lá em cima, vejo que Mel e Dan, estão deitados de lado metendo de novo, então deixei os dois lá e fui para o quarto de hospedes e quando me dou conta uma mulher loira, que não conheço esta deitada lá, resolvo mesmo assim, me deitar com ela.
E assim foi, deitei com ela na cama, ela nem percebeu.
No dia seguinte, quando eu acordei todos já haviam ido embora, menos Mel e Dan, que ainda estavam dormindo, deixei os dois lá e segui normalmente a minha rotina e fui para o trabalho.
Quando cheguei os dois já não estavam, mas lá, porem toda vez que tem alguma festa em casa, os dois aparecem juntos e vira e mexe, vendo os dois saindo do motel.
Afinal, a Mel é gostosa demais.

Na rua.

Eu e o meu namorado adoramos fazer loucuras e sexo em lugares inesperados, mas por incrível que pareça, nós nunca tínhamos feito na rua.
Uma coisa bem simples para um casal que adora se arriscar.
Decidimos então fazer esta loucura de um modo diferente, não de noite, e sim de dia, em uma rua um tanto movimentada, eu estava com um vestido curtíssimo e sem calcinha, salto alto, pronta para a nossa ação.
Ele estacionou o carro em um estacionamento, e fomos a pé, até o nosso destino, portanto apenas a minha bolsa.
Fui andando apoiando nele, por causa do meu salto que era enorme. Sexo em publico nos deixa ainda mais excitados.
Entramos em uma rua pequena, porém bem movimentada, pelo fato de ser entre duas avenidas.
Como nós não queríamos ser reconhecidos, havia na bolsa duas mascaras de carnaval, que eu tinha pegado em casa antes de saímos, colocamos as mascaras e começamos a nos beijar.
Ele me encostou em um muro, fazendo com que eu rasga-se o meu vestido na parte de trás, mesmo assim continuamos a nos pegar, ele me beijava de um modo muito excitante, bem molhado então começou a descer as suas mãos pelo meu corpo, chegando a minha cintura.
Nisto já podíamos perceber que algumas pessoas olhavam para nós com curiosidade, mas não paravam.
Quando ele subiu a mão para os meus seios, eu gemi baixinho, porem ele percebeu e me beijou ainda mais molhado.
Nós não poderíamos demorar naquela situação, então decidimos parti par a ação, desci, ficando quase “d4”, tirei o pau dele pra fora, e comecei a chupar bem gostoso, ele adora meu boquete, pena que eu não pude dar o melhor de mim para ele. Deixei o pau dele molhado, e nisto poderíamos ver ao nosso redor, pessoas com caras de assustadas, outras excitadas, algumas com curiosidades, outras filmando e outras querendo participar. Nós continuamos a se pegar, quando virei de costas para ele, meu namorado me pegou pelo braço e me trocou de posição, fazendo com que eu ficasse de frente com ele.
Ele se agachou um pouco e pediu para que  pula-se no colo dele. Fazendo com que eu ficasse em seu colo e de frente a ele.
Ele me segurou com uma mão e com a outra encaixou seu pau na minha buceta que já estava toda molhada.
Eu segurava no pescoço com as mãos e com as pernas na cintura dele, para não ter perigo de cair.
E de pé ali no meio da multidão que se acumulou, nós estávamos fodendo gostoso.
Sem muita frescura, eu gemia alto e ele também.
As pessoas em nossa volta, já estávamos loucas de tesão e queriam participar de qualquer modo, mas mesmo assim continuamos, ele fodia a minha buceta com força, a pegada dele estava cada vez mais selvagem, me fazendo sentir tesão a cada instante, até que não demorou muito, gozei no pau dele, deixando ainda mais molhado, e então sem que eu espera-se, ele começou a me apertar e meter mais forte e intensamente, e assim foi por um bom tempo, ai ele gozou, gozou tudo e bem gostoso dentro de mim, calmamente nos beijamos, trocamos sorriso e ele me colocou no chão, me arrumei na medida do possível, ele também.
Como se nada tivesse acontecido, saímos andando no meio da multidão que havia se formado ali, ao passar no meio, percebemos que haviam homens se masturbando, vendo o nosso pornô ao vivo, mesmo assim continuamos andando até o carro, com as mascaras, para que ninguém pudesse nos ver.
Quando chegamos no estacionamento, tiramos as mascaras e entramos no carro, dentro do carro, fui para o banco de trás e troquei de roupa, colocando uma roupa, totalmente comportada e social, e meu namorado também, pois dali, ainda íamos para o trabalho. Depois de uns 10 minutos dentro do carro trocando de roupa, o segurança bateu no vidro, pensando que nós estávamos fazendo alguma coisa ali. Porem estávamos apenas trocando de roupa. Logo o segurança nos liberou, e somos embora, como se nada tivesse acontecido.

No banheiro da escola

Em um dia de aula normal, porém recuperação no final do ano.
Pedi que meu namorado leva-se me para a escola, ele estava de férias do trabalho, então tinha tempo de ir comigo, a verdade é que eu  queria que ele ficasse lá comigo, último dia de aula, queria que fosse especial.
O que aconteceu é que antes de irmos para a escola, em mensagens via celular, o famoso sms, nós combinamos de fazer uma loucura para que eu pudesse me lembrar daquele ano, como o ano "vip".
Nós queríamos dar um jeito de fazer sexo no banheiro da escola. A idéia inicial foi minha. O banheiro da minha escola, fica de frente o refeitório, e normalmente em horário normal de entrada que é as 19:00 horas, costuma ter sempre um coordenador lá, para ficar de olho nos alunos que passam por ali.
Neste dia não, pelo fato de a aula começar mais tarde, a entrada seria por volta das 20:00 horas, não tinha ninguém lá e além disso, estava tudo escuro. As luzes estavam todas apagadas.
Chegamos cedo na escola, exatamente as 19:00 horas, o portão da entrada já estava aberto, mas ainda não tinha chegado ninguém na escola. Ao invés de irmos para a minha sala, nós fomos para o banheiro.
Eu entrei no banheiro feminino e ele no masculino, como já tínhamos tudo planejado, fomos na intenção de ver se tinha alguém por lá, quando eu sai, fui em direção ao banheiro masculino que é ao lado, e meu namorado já estava na porta me esperando. Eu queria muito fazer aquela loucura, e meu namorado vendo aquela situação, sem ninguém por lá e tudo escuro decidiu me chamar para entrar no banheiro, porém, vendo que aquela situação estava mais perto do que eu esperava, eu acabei não conseguindo fazer, eu travei na frente da porta do banheiro e não saia dali, não conseguia entrar no banheiro com ele. De tanto eu enrolar para decidir o que eu queria,  desceram alguns meninos, e nós começamos a disfarçar, e andamos pelo corredor, para que aqueles meninos fossem embora, mas eles não iam.
De tanta demora acabamos subindo para a sala, desistindo assim na nossa vontade, isso já era por volta das 19:30 horas, nós tínhamos chegado cedo demais, por isso não havia ninguém na escola.
Chegamos na sala e o fogo tomava conta de nós.
Eu realmente tinha dado para trás, então resolvi que deveria arriscar, começamos a nos pegar ali mesmo dentro da sala com a porta aberta, o único problema seria se alguém consegui-se ver, mas a escola estava vazia, mesmo assim por questão de "segurança" e tesão decidimos descer até o banheiro novamente.
Descemos e percorremos pelo corredor que dava no banheiro, chegamos lá, ele entrou novamente no banheiro masculino para ver se tinha alguém por lá, para que eu pudesse entrar, logo ele saiu e disse que não tinha ninguém, então decidi entrar no banheiro, ele procurou por um banheiro que tivesse trinco para fechamos, mas banheiro de escola nunca tem nada e muito menos um trinco na porta, então decidi ir para o último banheiro da esquerda para a direita, entrei e ele entrou logo em seguida, o banheiro não era muito espaçoso, fazendo assim com que nós ficássemos ainda mais colados.
Porém sem a trinca na porta, a porta ficou um pouco aberta, mas para quem já estava naquela situação, aquilo era o de menos.
Começamos a nos beijar e a nos pegar fazendo com que o tesão, fica-se ainda maior, era uma delicia estar naquela situação, apesar do medo que as vezes batia.
Continuamos nos beijando, e o beijo dele, me fazia ficar ainda mais excitada e aos poucos ia sentindo ficar mais molhada, não demorou muito, desci até o pau do meu namorado, e comecei a chupar, como sempre digo a ele, que pau delicioso que ele tem.
Deixei ele todo molhado, passava a língua na cabeça dele, depois descia, fazendo ele sentir muito tesão, pude ver isso na cara dele. Mas a intenção era deixar o pau dele todo molhado, para que ele me pudesse foder bem gostoso.
A cara de tesão do meu namorado era o que me deixava ainda mais afim daquela loucura.
Abaixei a minha calça e minha calcinha, e fiquei "d4", na frente dele, me apoiando na parede, ele colocou seu pau perto da minha buceta, fazendo com que eu me mexe-se para sentir aquele delicioso pau, fodendo sem parar. Ele me provocava, roçando o pau dele pela minha buceta, até que ele meteu sem que eu espera-se, me fazendo soltar um gemido.
Ele então começou a fazer movimentos de entra e sai da minha buceta, eu apenas tentava me conter, para não gemer, pois não podia fazer barulho, mas ele me comia gostoso demais.
Quando ele deu um tempo, nós ouvimos passos e barulho de chaves. Então decidimos ficar em silencio, e esperamos essa pessoa passar, não demorou muito e nós continuamos a foder, não poderíamos demorar muito, pois a hora dos outros alunos chegarem estava próxima, mas mesmo assim, ele sabe fazer como ninguém, e foi gostoso demais. Fodemos de uma forma sensacional.
Terminamos, e ele saiu primeiro do banheiro e foi ate a porta, verificar se tinha alguém, para que eu pudesse sair, afinal, eu estava dentro do banheiro masculino.
Ele saiu, viu que não tinha ninguém, e me chamou. Fiquei esperando ele do lado de fora, pois precisamos disfarçar o que tínhamos acabado de fazer.
Ele saiu junto comigo, de mãos dadas, e fomos até o portão principal, como se nada tivesse acontecido, mas quando chegamos no portão principal, vimos que a escola já estava cheia de alunos, e que tínhamos terminado no momento certo.
Ficamos ali até o sinal bater para que eu subi-se para a sala.
Depois de uns 5 minutos, ele foi embora e eu subi para a sala como se nada tivesse acontecido.