terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O vizinho



Tudo começou há um mês atrás, eu estava passeando distraída pela praça de onde eu moro, quando de repetente, acabei escorregando e caindo no chão.
Um moço, muito atraente, moreno, forte, me ajudou a levantar. Eu tinha realmente me machucado, tinha tido uma torção no pé, ele me pegou no colo e me colocou em seu carro; e me levou para o medico, onde tive que ficar por alguns dias, pois a torção havia sido seria e eu precisei fazer uma cirurgia; mas depois de uma semana no hospital, os médicos me liberaram e quando eu estava saindo, ele estava me esperando na porta, fiquei surpresa com aquela visita inesperada, mas fiquei feliz ao vê-lo e eu e ele percebeu; ele então novamente me pegou no colo e me colocou em seu carro, e me levou ate em casa, eu não tinha palavras para agradecer aquele moço tão bom e tão educado. Nem meu marido, havia se dado ao trabalho de ir me buscar, agradeci ao moço e perguntei:

- Qual o seu nome?

Ele sorrindo me respondeu:

-Guilherme, já que somos tão íntimos agora, será que você poderia me dar o seu telefone?

- Claro, porque não?
E passei o meu numero para ele e ele passou o numero dele para mim...

Depois de uns 10 minutos conversando com ele, ele foi embora e eu fui para o meu apartamento, fui fazer as minhas coisas, mas acabei adormecendo e acordando só no outro dia.
Acordei com a ligação de Guilherme, pessoalmente a sua voz era linda, mas pelo telefone, era uma coisa de outro mundo.
Ele me deu um bom dia e desejou que o meu dia fosse bom.
E eu comecei a pensar, tem como não ser bom com um homem deste me ligando no outro dia?
Conversamos por um bom tempo, até meu marido chegar. Desliguei o celular e passei o dia todo com o meu marido, mas era como se ele não estivesse ali, meu corpo estava ali, mais a minha mente não. Eu pensava no Guilherme o tempo todo; cada toque do meu marido era em Guilherme que eu pensava, porem o que eu não sabia era que Guilherme morava no mesmo prédio que eu; e por coincidência no andar de baixo.
Certo dia descendo pelo elevador e dei de cara com ele, não conseguia conter a minha felicidade; e ele percebeu novamente, foi logo me beijando e me abraçando, e eu apenas o correspondi com beijos suaves no rosto e conversamos ate chegar ao meu andar; sai do elevador com um aperto no coração, queria ficar ali com ele, me passava coisas loucas na cabeça, mas tinha que me controlar, afinal eu era casada!
Todos dos dias quando me deixava com meu marido, é em Guilherme que eu pensava, fiquei neste clima com meu marido, por dois meses e estes dois meses foram os melhores, as melhores transas.
Ate que meu marido percebeu que tinha algo de diferente, então ele me colocou contra a parede e me perguntou:

- O que esta acontecendo com você? Você anda mais fogosa, mais excitada com mais vontade?

Eu fiquei pasma com isso, pois não poderia contar a verdade para ele, mas também não poderia mentir que eu sentia tesão por outro homem, fiquei num beco sem saída, mas resolvi contar toda a verdade, afinal ate aquele momento eu não tinha feito nada de errado.

- Como assim?

- É que eu sinto tesão por nosso vizinho; que se chama Guilherme! Lembra aquele dia que eu me machuquei e te contei que um homem havia me ajudado?

- Lembro. O que que tem?

- Então é ele, e no dia que eu sai do hospital foi ele quem foi me buscar, mas ate então não sabia que ele era o nosso vizinho, ate encontrar ele no elevador, e desde então venho sonhando com ele.

- Quer dizer que você deita comigo; pensando no nosso vizinho?

- É amor! Só de chegar perto dele o meu corpo já se arrepia todo

- hum! Fiquei decepcionado com você, mas também te escondo algo e acho que devo te confessar.

- O que é?

- eu sempre tive essa vontade, uma fantasia bem secreta de ver você transando com outro cara na minha frente, não sei quero ver outro pau dentro de você.

- Como assim? Ta ficando louco?

- Não amor, vontade é vontade. Porque você já não aproveita e faz isso por mim? E ainda mata esse seu desejo de ter o teu vizinho?

- Não sei amor, não sei se é uma boa idéia.

- É claro que é. Liga pra ele e manda-o subir aqui agora.

- Agora?

- Sim!

Peguei o telefone, com as mãos frias, e sem estar entendendo nada e liguei para o Guilherme, expliquei toda a situação para ele, e ele disse que ia subir, pois também estava muito afim de mim; mas não saberia se ia conseguir fazer o que o meu marido queria, mas mesmo assim, ia subir.
Me arrumei, tomei um banho e me preparei para ver Guilherme entrando por aquela porta, aquele era o momento mais esperado por mim, eu queria sentir ele, mas não sabia como meu marido ia reagir ao ver aquela cena toda, mas mesmo assim esperei por ele, sem medo do depois.
Depois de 30 minutos, ele subiu ate o meu apartamento, ele estava muito cheiroso, e parece que tinha tomado banho naquele mesmo instante.
Apresentei o meu marido a ele, e os dois ficaram conversando por um bom tempo na sala, enquanto eu estava no quarto, só esperando o que eles iriam decidir. Depois de 20 minutos esperando, desci descer e ver o que estava acontecendo lá em baixo; mesmo antes de descer, ouvia os dois rindo sem parar e isso me deixava animada, pois parecia que eles estavam se entendendo, então eu ia poder transar com Guilherme sem problema algum.
Enquanto ia descendo as escadas, os dois pararam de conversar, e ficaram só olhando para mim, e eu não entendia, mas estava me sentindo maravilhosa, pois tinha a atenção dos dois somente para mim.
Continuei descendo, estava de salto fino e de lingerie vermelha, cabelos soltos, e estava muito excitada com aquela situação toda.
Desci então, e sentei no sofá no meio dos dois; meu marido me olhava de um jeito que ele jamais tinha me olhado, e isso estava me torturando por dentro, porque eu não sei o que estava passando em sua mente, mas percebia em seu olhar que ele estava ficando muito excitado com isso.
Já Guilherme, estava louco para colocar todo aquele plano em execução, mas eu não entendia o porque nenhuns dos dois começavam com aquilo.
Até que Guilherme me deu um papel, escrito a seguinte frase:

- A partir desse momento, você manda e faz tudo o que você quiser!

Eu então fui a loucura, poderia fazer tudo o que eu queria com meu marido e com o Guilherme também...
Então dei um beijo bem molhado em meu marido, que já ficou louco, e subi no colo de Guilherme, que já estava todo duro, sem que eu percebesse, ele já estava chupando os meus seios e aquilo, deixava o meu marido, alucinado, ele já estava com o pau pra fora, enquanto eu estava no colo de Guilherme.
Meu marido então pegou uma cadeira na cozinha e sentou de frente para mim e para Guilherme, e só ficou olhando, eu achei que eu poderia transar com meu marido também, mas pensei errado, ele queria apenas ver, como ele tinha dito antes.
Então continuei com Guilherme, estava em seu colo, enquanto ele me beijava e chupava os meus seios, ele me apertava; me puxava.
Então pedi a ele que tirasse tudo também, queria sentir o corpo dele, com o toque os meus lábios e com o toque das minhas mãos.
Ele se levantou; tirou a roupa, e o meu marido também, eu queria sentir o meu marido dentro daquela situação toda, mas sempre que eu chegava perto dele, ele me mandava voltar pro meu vizinho.
Então deixei meu marido de lado, e comecei a beijar o corpo do meu vizinho, e que delicia de corpo, da sua boca, fui descendo por todo o seu corpo, ate chegar aquele pau gostoso.
Eu nunca tinha me sentido daquele jeito, eu chupava aquele pau com uma vontade fora do normal, deixava ele bem molhado, depois engolia ele todinho, enquanto isso, Guilherme apenas acompanhava os movimentos com as mãos em minha cabeça, ele me puxava e depois me empurrava, a modo de sentir a minha boca passando toda por seu pau.
E mandava eu babar cada vez mais; deixei o pau dele todo babado, do jeito que ele me pedia, ele então mandou eu abrir a boca, e ele começou a fazer o movimento de vai-e-vem dentro da minha boca, e aquilo fazia ele gemer muito, o que me dava ainda mais prazer, quando olhei para o meu marido, percebi que ele já estava no ponto de gozar, então soltei o pau  do me vizinho e fiquei “ d4” para ele, e para o meu marido e falei

- meu gostoso, deixa-me sentir o gosto desse leitinho em mim.

Então meu marido não agüentou, e acabou gozando tudo em mim, rosto, boca, seios, mas ele ainda continuava excitado, mas agora ele disse que ele mandava, então ele me puxou pelos cabelos e mandou  Guilherme sentar no sofá, me colocou no colo dele e mandou eu meter, e começo a falar, não era isso que você queria, então fode com ele agora, sua puta.

Ouvir aquilo dele, me deixou realmente igual a uma puta, e já que eu estava em cima do colo de Guilherme, resolvi fazer tudo o que eu sabia para deixar ele louco, então eu pulava, rebolava, e mandava ele me foder cada vez mais,

E foi o que ele fazia, metia de um jeito tão gostoso, ele tinha uma pegada forte e o fogo que eu estava sentindo, fez com que eu gozasse duas vezes só naquela posição, meu marido já estava indo a loucura, então ele decidiu participar, e levantou da onde ele estava sentado e colocou o seu pau na minha boca, enquanto eu rebolava em cima do pau do meu vizinho gostoso. E assim foi ate que eu gozei de novo, ai meu marido me puxou, me colocou de 4, e começo a me foder, disse que queria sentir a minha bocetinha toda molhadinha, com o gozo que outro pau havia arrancado, mas ele estava alucinado, e me puxava, metia forte, me batia, puxava meu cabelo.
Depois de meter, ele me jogou no sofá e segurou as minhas pernas para o alto, para que Guilherme pudesse meter em mim, ele então chegou pela frente; colocou seu joelho no sofá, se arrumou e meteu o seu pau todo em mim; percebi que ele também estava muito excitado com toda aquela situação, e começou a meter muito forte e manter o ritmo; com isso eu cheguei ao orgasmo de um modo muito gostoso;
E enquanto eu estava tendo o orgasmo ele não parava de meter, e eu não conseguia me controlar, gritava, gemia, apertava ele todo, ate que então, ele gozou  e eu  junto, enquanto isso meu marido também estava batendo uma ate gozar, e quando estava quase gozando chegou perto de mim, e gozou  tudo em cima de mim novamente.

E depois de um bom banho juntos, ele foi embora, e com ele levou o nosso segredo, o nosso delicioso segredo.

08/10/12

5 comentários: